Murais transformam Maresias num museu de “street art” a céu aberto com o PROJETO #COLORINDOMARESIAS.


    Com cerca de quatro quilômetros de extensão e aproximadamente 250 murais, o Projeto #COLORINDOMARESIAS transforma o bairro num museu de “street art” a céu aberto.

    Maresias, a praia mais badalada do Litoral Paulista e “capital nacional do surfe”, graças ao bicampeão Gabriel Medina, aos poucos vai se transformando num museu de street art a céu aberto.

    Um grupo de 30 artistas participa do projeto comunitário “Colorindo Maresias”, idealizado pelos arquitetos do Studio Carlito e Renata Pascucci, que elabora 250 murais, espalhados pelas ruas do bairro.

    Um modelo semelhante ao Beco da Mulher Maravilha, corredor de grafite conectando a avenida da praia com a rua do comércio, nomeado em homenagem ao Beco do Batman, em São Paulo.

    O Colorindo Maresias fez intervenção nas ruas do morro, levando arte e cor para uma área até então degradada e esquecida. Agora, o movimento ganha fôlego, ampliando expressivamente o alcance da intervenção, com cerca de 50 novos murais instalados em três das principais ruas do bairro: Rua do Forno, Nova Iguaçu e Rua da Cesp.

    Beleza para as áreas invisíveis

    “Temos uma zona de fluxo turístico intenso, que como toda área nobre é relativamente cuidada, colorida, com atrações e projetos arquitetônicos interessantes. Porém, nosso bairro é amplo e, em seu interior, apagado. Depois da atuação no morro, feita no ano passado, estamos trazendo esse contato com a arte e a beleza para o miolo de Maresias, as zonas onde residem grande parte da população, onde os turistas até circulam, mas não enxergam”, explica Renata Pascucci, uma das idealizadoras do “Colorindo Maresias”.

    “É a forma que nós, e diversos parceiros da comunidade local, que compõem o coletivo, achamos de contribuir com a beleza e cultura em nosso bairro. Temos muitas carências, em diversas frentes, para receberem atenção dos órgãos públicos. Neste cenário, a arte não é prioridade, mas sabemos do poder transformador que a arte urbana tem no entorno. No quanto o fato de sentir seu bairro bonito, inspirador, motiva transformações positivas individuais. Estamos plantando a semente da arte, cor e pensamento crítico nos nossos muros, e os resultados já são sentidos”, comentou Carlito Colhado.

    A arte inspira

    De fato, a movimentação e cuidado com as ruas pode ser sentida por quem acompanha a ação. Enquanto artistas de renome -vindos de São Paulo e do próprio litoral – pintam seus murais, casas vizinhas recebem mãos de tinta dos proprietários, animados com a ação. Crianças da escola local pedem para participar, deixar sua marca, lixeiras são rapidamente implantadas, tirando os lixos da frente dos muros. “A movimentação dos moradores durante a intervenção é uma coisa emocionante. Perceber os moradores ganhando orgulho de suas ruas, percebendo a beleza possível, antes invisível. É a semente que plantamos e que floresce nas mãos da comunidade com um todo”, completa Renata Pascucci. Nomes de peso na arte. Segue algumas fotos do projeto. ( As fotos aqui desde post serão atualizadas conforme os artistas terminarem as artes.) Tem bastante arte para entrar nessa galeria de fotos, aguardem!

    Para esta terceira intervenção foram convidados artistas de renome do cenário de street art, como Pomb, Highgraff, Ronah, Studio Local, Jerry Batista, Leiga, Ricardo Akn e Lady Guedes, que exibem suas telas em pontos nobres do país e no próprio Beco do Batman, além de dezenas de outros talentos (lista completa abaixo), todos contribuindo com o movimento por conta da causa e dos resultados vistos com as intervenções anteriores do Colorindo Maresias. “Eu vim para fazer o Beco da Mulher Maravilha e me apaixonei. De lá para cá já retornei quase uma dezena de vezes a Maresias, com vários murais produzidos. O movimento é contagiante e a mensagem poderosa, envolvente”, conta a artista Lady Guedes, uma das participantes.

    Com centenas de murais, muitas frases de impacto, muita arte e muita cor, Maresias vai se tornando um museu de street art a céu aberto, uma versão paulista do bairro Wynwood, em Miami, nos Estados Unidos, que movimenta o turismo local com arte urbana.

    “O Beco da Mulher Maravilha já é um dos principais atrativos turísticos do bairro. Estamos trazendo beleza, cultura e turismo para Maresias. Mais uma prova de que ações independentes, organizadas completamente pela comunidade, podem ser transformadoras e de grande impacto. Que siga sendo, sempre, só o começo”, conclui Carlito Colhado. * Por Marina Veltman

    Confira a lista de artistas participantes desta terceira etapa do movimento Colorindo Maresias – Prozak – Pomb – Highgraff – Lady Guedes – Jerry Batista – Ricardo AKN – Ronah Carraro – Lady Guedes – Boleta – Leiga – Caroca – Tadeu Roots – Celia Roysen – Milo Tchais – Kika – Carlito Colhado – Renata Pascucci – Leo Parisi – Ago.Flash – Cleo Tamojunto – Carocamelia – Yara Amaral – Brunone – NDrua – Elvis Mourão – Isis Ra – Soberana Ziza – Mário Machado – Mariana Petermann – Maitê – klax – Ronaldo Couve

    Conheça o percurso desenvolvido para os admiradores da arte urbana, com cerca de quatro quilômetros de extensão e aproximadamente 250 painéis : – Ciclovia – Olímpio Romão César – Rua da CESP – Rua do Forno – Rua Nova Iguaçu – Rua Sebastião Romão César – Beco da Mulher Maravilha

    FOTOS @MaykoFG TEXTO :tamoiosnews.com.br

    #colorindomaresias #streetart #maresias #grafitti #intervençãourbana #artederua